Alimentação e descarte de resíduos orgânicos: sendo consciente antes e depois da refeição

resíduos orgânicos

Conforme o tempo passa, produzimos uma quantidade cada vez maior de resíduos orgânicos. Fazendo isso, não só desperdiçamos comida, mas desperdiçamos nosso próprio dinheiro, assim como os recursos naturais que foram utilizados para produzi-la. Mas além disso, esse lixo não desaparece. Muito dele é enviado aos aterros, onde se transformam em outro problema.

Felizmente, existem maneiras bem fáceis de reduzir a produção de resíduos orgânicos! Veja neste blog como começar a fazer isso e ainda sair ganhando!

Compre com inteligência

A prática mais comum que se costuma adotar é a de ir ao mercado e comprar todos os mantimentos que julgamos necessários para algumas semanas. Assim não precisamos fazer compras com uma frequência maior do que seria conveniente. Porém, infelizmente, por causa disso compramos mais do que precisamos. Como consequência, acabamos produzindo uma grande quantidade de resíduos orgânicos (e não orgânicos).

A solução para isso é simples: planejar com cuidado as refeições, fazer uma listinha e realizar visitas frequentes ao supermercado. Desse jeito fica fácil de prever o que você e sua família realmente vão consumir nos próximos dias.

Você pode estar pensando que isso seria muito difícil de colocar em prática, por causa da falta de tempo, dentre outras razões. Mas a verdade é que o desperdício evitado não é só o de comida, mas também do dinheiro que você se esforçou tanto para ganhar.

Armazene os alimentos corretamente

É comum que as pessoas cometam erros na hora de armazenar frutas e vegetais. Isso pode levar a um amadurecimento prematuro e, devido a isso, o produto acaba estragando antes mesmo consumi-lo. Logo, o armazenamento inadequado é outra causa frequente relacionada à produção excessiva de resíduos orgânicos.

Vejamos alguns exemplos: a cebola, a batata, o alho, o tomate e o pepino não são alimentos destinados à refrigeração. Eles devem ser conservados em temperatura ambiente. É por essa razão que existe um compartimento específico embaixo da geladeira, em que o frio é bem menor, sendo ideal para armazená-los.

Outra informação importante está relacionado com o gás etileno que é produzido por alguns alimentos durante seu amadurecimento. Isso é um problema porque quando em contato com outros alimentos ele também pode promover seu amadurecimento acelerado.

Os alimentos que produzem gás etileno incluem abacate, melão, pêra, pêssego, banana, tomate, cebola verde, etc.

Então já sabe, para não gerar muitos resíduos orgânicos, deixe esses alimentos longe de produtos que têm suscetibilidade a serem afetados pelo etileno, como a batata, a maçã, as folhas verdes, as frutas vermelhas e os pimentões!

As sobras do dia não precisam ser transformadas em resíduos orgânicos

Na sua geladeira tem alguma sobra de uma refeição que você não deu conta e teve que guardar para comer outro dia? Não deixe que essas sobras estraguem! Para evitar esquecer, coloque-as em recipientes transparentes e que fiquem bem visíveis. Aproveitando os restos, você poupa tempo, dinheiro e evita desperdício!

Mas será que você tem o costume de jogar o que sobra fora por não querer repetir o que já comeu? Isso também pode ser solucionado! A criatividade é nossa melhor amiga na cozinha. Sem que se dê conta, você pode estar transformando em resíduos orgânicos comidas que podem ser pratos deliciosos!

Confira nosso blog “Receitas com sobras de alimentos: como reinventar e não desperdiçar!” e comece a colocar isso em prática da melhor forma possível!

Tente aderir à compostagem

A compostagem de resíduos orgânicos é uma forma de reutilizar os restos de comida que não podem mais ser utilizados de outra forma. Durante esse processo, podemos transformar o resíduos alimentares em energia para as plantas. Isto é, em um adubo super nutritivo!

A compostagem tradicional exige que se tenha um espaço maior em casa. Então elas são ideias para quem tem um grande jardim ou horta. Mas hoje em dia existem alternativas para pessoas que vivem em espaços menores e com plantas domésticas ou pequenos jardins.

Você pode conhecer mais a fundo a diferença entre a compostagem tradicional e uma de suas alternativas neste blog!

E então? Ficou animado para colocar alguma dessas ideias em prática? A gente espera que sim, porque é criando mentes conscientes que podemos mudar cada vez mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CNPJ: 07.045.139/0001-09

Copyright Terraform Kitchen© 2020.  Desenvolvido por WSI Consultores

Quer acompanhar nossas novidades ou receber cupons de descontos?